sexta-feira, dezembro 02, 2011

A patinha lésbica e os três porquinhos pederastas

Heitor Gomes
 

Num terreiro bem distante,
Existiu uma patinha.
Com a pena toda emplumada,
Já tinha ficado mocinha.

Mamãe pata, já idosa,
Preocupada com a filhinha,
Queria que ela se casasse,
E lhe desse muitas netinhas.

Mas a patinha, já mocinha,
Não queria saber de casamento.
Falava que era cedo,
E que tinha ainda muito tempo.

Mas a mamãe desesperada,
Preocupada que dava dó.
Dizia que se ela não casasse logo,
Ficaria encalhada, sozinha no caritó.

Então a patinha criou coragem,
E falou angustiada,
Que era diferente e que casamento pra ela, era uma grande piada.

Sua mãe, inconformada,
Desesperada com o que acabou de ouvir.
Disse que não aceitava tal despautério,
E que ela podia no mundo sumir.

A patinha entristecida,
Com o que acabara de ouvir.
Ficou muito revoltada e
Sozinha resolveu então partir.

Rumou destino incerto,
Com muito medo e desesperada.
Fora excluída por todos,
Só porque queria arrumar uma namorada.

Mas não tinha outro caminho,
Neste mundo frio e cruel.
Só porque ela era lésbica,
Estava relegada a viver ao léu.

Partiu então sozinha,
Em terras distantes e frias.
Enfrentar o destino algoz,
Que tanto a judiava e oprimia.

No meio do íngreme caminho,
Num local triste e distante.
Encontrou abandonados três porquinhos,
Magros, cansados e escaldantes.

Chegou perto deles desconfiada,
Criou coragem e perguntou:
-Por que estão sozinhos com aparências tão horripilantes?
E o mais velho então falou:

-Estamos todos perdidos,
Sem saber o que fazer.
Fomos expulsos de casa
E agora estamos a perecer.

Só porque somos diferentes,
Ninguém quer nos aceitar.
Por que não cobrimos as porquinhas,
Estamos nesta vida a penar.

Nosso pai não aceita,
Nossa situação atual.
Porque somos porquinhos viados,
Ele diz que somos do mal.

Por isso vivemos fugindo,
agora somos amaldiçoados.
Na última festa junina,
Quase viramos lombinhos assados.

-Que conversa mais maluca,
Parece alucinação.
Três porquinhos pederastas e uma patinha sapatão.

Mas não fiquem preocupados,
Pois não estão mais sozinhos.
Unidos formaremos um grupo,
Montaremos um reduto e
Trilharemos novos caminhos.

Então os três porquinhos pederastas,
E a guerreira patinha sapatão.
Reuniram muitas bicharadas entendidas,
E cada grupo trabalhou arduamente,
até construir o seu galpão.

O local ficou famoso,
O reduto entrou pra história.
Como da patinha lésbica e os três porquinhos
Pederastas,
Que de renegados conheceram, o píncaro da glória.






3 comentários:

Rita Lavoyer disse...

Menino! Fico contente por saber que retornou ao seu blotg, agora com força total. Essa cor rosa do fundo é a sua cara!
Parabéns!
Rira Lavoyer

HAMILTON BRITO... disse...

è mesmo, a cor de rosa é a cara o " coiso" dono do blog....pink ...hahahahah entrega logo, sujeito

veralucia malagoli disse...

rsrsrs muito bom!